Significado do Brasão

Nosso Brasão institucional é simples, trazendo uma mensagem singela e demonstrando o alinhamento de nosso projeto institucional ao Judaico-Cristianismo.

No alto do Brasão, o nome de nossa instituição revela uma proposta de trabalho totalmente alinhada à Tradição Espiritual do Ocidente. O título Societas Hermetica Salomonica (“Sociedade Hermética de Salomão”) apresenta ao estudante os elementos que compõem a abordagem de nossas ações: Societas” porque propomos um trabalho fraternal; “Hermetica” porque a direção espiritual oferecida na instituição é de natureza privada; e “Salomonica” porque os estudos e exercícios propostos em nossa instituição são oriundos do pilar Judaico-Cristão, a partir da Teurgia Salômonica trabalhada no baixo medievo.

A imagem ao centro de nosso Brasão é a junção de dois cristogramas (pantáculos cristãos da antiguidade, em forma de monograma ou junção de letras): o JHS e o PX. O “JHS” (do latim “Iesus Hominibus Salvatoren”, ou “Jesus, salvador dos homens”) foi criado por São Bernardino de Sena no século 15, e adotado por Santo Inácio de Loyola no século 16 como emblema da Companhia de Jesus. Este cristograma é uma das principais representações de Jesus no Cristianismo primitivo. 

O “PX” é um cristograma muito usado antes mesmo do tempo do imperador Constantino e adquiriu grande popularidade depois que ele o adotou para o seu lábaro. O símbolo é formado pela sobreposição das duas primeiras letras (iniciais) chi e rho (ΧΡ) da palavra grega “ΧΡΙΣΤΟΣ” (“Cristo”), de tal modo a produzir o monograma.

Conta a história que enquanto o imperador romano Constantino estava a caminho de uma difícil batalha na Ponte Mílvia (onde o aguardava um exército maior e mais forte sob a liderança de Magêncio), viu uma visão no céu do Chi Rho e ouviu uma voz proclamar: “Por este sinal conquistarás” (do latim: “In hoc signo vinces“). Constantino ordenou rapidamente que o Chi Rho (o “PX”) fosse pintado em todos os escudos dos soldados e em seu lábaro (estandarte). O exército de Constantino ganhou então a batalha.

A junção desses dois cristogramas deixa claro a intenção da Societas Hermetica Salomonica em oferecer estudos sobre a Tradição Ocidental que sejam essencialmente pautados na Teologia, na Filosofia e na Moral do pilar Judaico-Cristão.

Por fim, na parte debaixo do Brasão, temos o lema de nossa instituição: “Omnes Viae Romam Ducunt” (do latim: “Todos os caminhos levam a Roma”). Esse lema demonstra que a Societas Hermetica Salomonica é um projeto institucional guiado essencialmente pela Teologia Católica Romana, que por si só um dos pilares da Moral Judaico-Cristã no Ocidente. Dessa forma, um de nossos maiores objetivos é desmistificar a imagem deturpada que a modernidade (guiada por ideais iluministas) criou sobre o Catolicismo e sobre a espiritualidade católica.